Evolução das paisagens do Parque Municipal Nascentes do Belém e arredores (Curitiba-PR)

Janete Lúcia Conci, Helena Mendonça Faria, João Carlos Nucci, Oriana Aparecida Fávero

Resumo


O Belém é um importante rio do município de Curitiba cujas nascentes se encontram em área de urbanização ocorrida principalmente entre as décadas de 1960 e 1980. O Parque Municipal Nascentes do Belém, implantado em 2001, tem levantado suspeitas sobre sua efetividade como unidade de conservação da natureza, despertando interesse sobre sua história de criação. Assim, realizou-se um estudo de evolução das paisagens entre os anos de 1952 e 2001 do parque e de seus arredores, abordando questões relativas à ocupação do solo urbano e à proteção ambiental. Foram realizadas pesquisas bibliográficas, cartográficas, trabalho de campo, coletas de informações baseadas em fotografias aéreas que retratam partes de um período de 47 anos (1952-1999) e nas leis de zoneamento do município dos anos 1965, 1975, 2000 e 2015, além de entrevistas com técnicos da Prefeitura de Curitiba e com moradores dos bairros próximos ao parque. Constatou-se que, apesar das evidencias explícitas nas fotografias aéreas de posse dos órgãos públicos, não foram tomadas medidas eficientes de proteção ambiental e a área encontra-se ambientalmente degradada, com ocupações sem regularização, com um cemitério próximo às nascentes e um parque que cumpre apenas parcialmente funções de conservação da natureza. A ocupação da área evidenciou conflitos comuns às áreas urbanas brasileiras, onde se verifica em uma mesma porção de território: demandas por habitação, interesses construtivos e econômicos, e a necessidade de conservação ambiental.


Palavras-chave


análise temporal; meio ambiente; conflitos sociais e ambientais

Texto completo:

PDF

Referências


BOLLMANN, H.A. e EDWIGES, T. Avaliação da qualidade das águas do Rio Belém, Curitiba-PR, com emprego de indicadores quantitativos e perceptivos. Eng. Sanit. Ambient. V.13, n.4, Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES, Rio de Janeiro, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-41522008000400013&lng=pt&nrm=iso Acesso em: 15/09/2016.

BRASIL. Lei 9.985, DE 18 DE JULHO DE 2000. Institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9985.htm Acesso em: 20/10/2016.

BUCCHERI FILHO, A. T. O planejamento dos parques no município de Curitiba, PR: planejamento sistemático ou planejamento baseado em um modelo oportunista? Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 13, n. 41, p. 206 – 222, mar/2012. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/16584/9236. Acesso em: 13/11/2016.

CURITIBA. Prefeitura Municipal de Curitiba. Fotografia aérea de 1952. Escala 1:25.000. Executado por Cruzeiro do Sul S.A. Cedida pelo IPPUC.

CURITIBA. Prefeitura Municipal de Curitiba. Fotografia aérea de 1966. Cedida pelo IPPUC.

CURITIBA. Prefeitura Municipal de Curitiba. Fotografia aérea de 1972. Escala 1:12.000. Executado por EOEIG MAER. Cedida pelo IPPUC.

CURITIBA. Prefeitura Municipal de Curitiba. Fotografia aérea de 1980. Escala 1:25.000. Executado por ITC-PR. Cedida pelo IPPUC.

CURITIBA. Prefeitura Municipal de Curitiba. Fotografia aérea de 1999. Executado por ESTEIO - Engenharia e Aerolevantamentos S.A., contratada pela Prefeitura Municipal de Curitiba, coberturas aéreas de novembro/1999, dezembro/1999 e março/2000, escala efetiva de 1:2.000; resolução espacial de 0,2 metro, Datum horizontal SAD69 (original). Disponíveis em: http://ippuc.org.br/geodownloads/ortofoto/Ortofotos%201999%20TIFF%20Original/Ortofotos%201999%20TIFF%20Original.html Acesso em: 16/12/12.

CURITIBA. Prefeitura Municipal de Curitiba. LEI N° 9.805 de 03 de janeiro de 2000. Cria o Setor Especial do Anel de Conservação Sanitário Ambiental e dá outras providências. Disponível em: http://multimidia.curitiba.pr.gov.br/2010/00087301.pdf Acesso em: 02/01/17.

CURITIBA. Prefeitura Municipal de Curitiba. Mapa de Arruamento. IPPUC, novembro de 2015, escala 1:15.000. Disponível em: http://www.ippuc.org.br/mostrarpagina.php?pagina=350&idioma=1&ampliar=n%E3o Acesso em: 11/12/2016.

CURITIBA. Prefeitura Municipal de Curitiba. Zoneamento Consolidado. Lei nº 9.800/2015 – PMC/IPPUC, escala 1:20.000, dezembro de 2015. Curitiba. Disponível em: http://www.ippuc.org.br/mostrarpagina.php?pagina=352&idioma=1&ampliar=n%E3o Acesso em: 17/12/16.

CURITIBA. Prefeitura do Município de Curitiba. Mapa de Ocupações Irregulares. IPPUC, agosto de 2016, escala 1:10.000 (Fontes: Ocupações irregulares - COHAB, 2016 e Arruamento - IPPUC, 2016. Disponível em: http://www.ippuc.org.br/mostrarpagina.php?pagina=353&idioma=1&ampliar=n%E3o Acesso em: 11/12/2016.

DIEGUES, Antonio Carlos Sant'ana. O Mito Moderno da Natureza Intocada. 6. ed. São Paulo: Hucitec e NUPAUB/USP, 2008. v. 1. 198 p.

FELICIO, B. C., Evolução Temporal da Legislação Ambiental e Urbanísticas das Áreas de Preservação Permanente –APPs. IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO URBANÍSTICO. Anais ... São Paulo. 2007. Disponível em: http://ibdu.org.br/eficiente/repositorio/Projetos-de-Pesquisa/congressos-e-seminarios/amazonas-2004/113.pdf Acesso em: setembro de 2013.

FRANCIS, R.A.; CHADWICK, M. A. Urban ecosystems. Understanding the human environment. London: Routledge, 2013.

IPPUC. Instituto de Pesquisa em Planejamento Urbano de Curitiba. Mapa da Lei de Zoneamento de 2000. Curitiba, 2000. Disponível em: http://www.ippuc.org.br/mostrarpagina.php?pagina=352&idioma=1&ampliar=n%E3o Acesso em: 16/12/16

KEMERICH, P., UCKER, F.E. E BORBA, W.F. Cemitérios como Fonte de Contaminação Ambiental. Site Scientific American Brasil, 2016, Editora Segmento. Disponível em: http://www2.uol.com.br/sciam/artigos/cemiterios_como_fonte_de_contaminacao_ambiental.html. Acesso em: 11/12/2016.

KLEIN, R. M.; HATSCHBACH, G. Fitofisionomia e notas sobre a vegetação para acompanhar a Planta Fitogeográfica do município de Curitiba e arredores. Boletim da Universidade do Paraná, Curitiba, n.4, 1962. (Planta Fitogeográfica, na escala 1:50.000, com base em fotografias aéreas de 1952).

MACEDO, S.S. e SAKATA, F.G. Parques Urbanos no Brasil. São Paulo: EDUSP, 2003.

MARICATO, E. Brasil, cidades: alternativas para a crise urbana. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

MARUANI, T.; AMIT-COHEN, I. - Open space planning models: a review of approaches and methods. Landscape and Urban Planning, n. 81, p. 1-13, 2007. Disponível em: Http://dx.xoi.org/10.1016/j.landurbplan.2007.01.003 Acesso em: 17/10/2016.

MISAEL, G. Y.; NUCCI, J. C. Parque Municipal Nascentes do Belém (Curitiba-PR) como unidade de conservação da natureza. In: I CONGRESSO DE GEOGRAFIA E ATUALIDADES. Anais ... Rio Claro, SP:UNESP, 2015.

NAVEH, Z.; LIEBERMAN, A.S. Landscape Ecology. Theory and Application. New York/Berlin/Heidelberg/Tokyo: Springer. Series on Environmental Management, 1984.

NUCCI, J.C.; PRESSOTO, A. Planejamento dos Espaços Livres localizados nas zonas urbanas. In: SANTOS, D. G. dos; NUCCI, J.C. Paisagens Geográficas: um tributo a Felisberto Cavalheiro. Campo Mourão: Editora da FECILCAM, 2009.

OLIVEIRA, D. Curitiba e o Mito da Cidade Modelo. Curitiba: Ed. da UFPR, 2000.

PANIZZA, A. de C. Como Eu Ensino Paisagem. São Paulo: Melhoramentos, 2014.

RUBIN, H. J. e RUBIN, I.S. Qualitative interviewing: the art of hearing data. Londres: Sage Publications, 1995.

SANTOS, R. F. dos. Planejamento ambiental: teoria e prática. São Paulo: Oficina de Textos, 2004.

ZONNEVELD, I.S.; FORMAN, R.T.T. Changing Landscape: an ecological perspective. New York: Springer-Verlag, 1990.




DOI: http://dx.doi.org/10.17271/2318847263720181509



 

ISSN Eletrônico: 2318-8472    

Digital Object Identifier (DOI): 10.17271/23188472

 

Indexações:

                 


ÍNDICE H (GOOGLE SCHOLAR):

Índice h5 = 5

Índice h5 = Mediana 6


Metrics:

 

 

 Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.