A mobilidade urbana nas cidades brasileiras: realidade, desafios e perspectivas

Noara Silva Rabelo

Resumo


Ao discutir a cidade, é praticamente intrínseco falar de mobilidade. A intensificação dos problemas urbanos, incluindo aqueles relacionados à mobilidade, têm estimulado a adoção de ações inovadoras na busca da melhoria da qualidade de vida das cidades, sustentabilidade e a humanização dos espaços urbanos. A adequação das cidades baseada nestes princípios está, cada vez mais, sendo adotada através de metodologias de integração das pessoas com o espaço urbano por meio de mudanças no espaço público e incentivo ao transporte sustentável. Pode-se conjecturar que uma das causas dos problemas de mobilidade urbana relaciona-se ao uso indiscriminado do transporte individual em detrimento da utilização de transportes sustentáveis. Neste trabalho, foi analisada a utilização de diferentes modais e seus respectivos impactos no meio urbano através da revisão de literatura, estudos de caso, dados estatísticos e reportagens. Também analisou a atual realidade da mobilidade urbana expondo os futuros impactos causados em relação à qualidade de vida das pessoas, apresentando algumas alternativas para reverter a atual situação. Diante das análises apresentadas, pode-se compreender que a mobilidade urbana é intrínseca a cada indivíduo em seus diversos e variáveis deslocamentos. É importante o entendimento de que o sistema de transporte coletivo e a utilização de meios não motorizados devem ser valorizada para que proporcione à cidade condições mais sustentáveis, e que provoque a assimilação do sistema de transportes como um todo pela população, de modo a alcançar a melhoria na qualidade de vida de todos.

Palavras-chave


Mobilidade urbana. Meios de transporte. Urbanização. Sustentabilidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTP – Associação Nacional De Transportes Públicos (Brasil). Sistema de informações da mobilidade urbana. Custos dos deslocamentos (custos para usar ônibus, moto e automóvel). São Paulo, 2010.

BALBIM, Renato; PEREIRA, Rafael. Centros urbanos e o não transporte. Desafios do Desenvolvimento - IPEA, Brasília, n. 53, p. 28, ago. 2009.

BARONE, Francisco Marcelo; SADER, Emir. Acesso ao crédito no Brasil: evolução e perspectivas. Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, v. 42, n. 6, p. 1249-1267. Dez. 2008.

BERNARDES, Flaviane Fernandes. Mobilidade urbana sustentável e inclusiva: proposta de implantação de VLT (Veículo Leve sobre Trilhos). 2016, p. 173. (Dissertação de Mestrado).

BERNARDES, Flaviane Fernandes; MESQUITA, Adailson Pinheiro. Veículos Leves sobre Trilhos no Brasil: Análise Metodológica e Estudo de Caso - Fortaleza e Rio de Janeiro. 2014.

CARVALHO, Carlos Henrique Ribeiro de. Mobilidade sobre duas rodas. Desafios do Desenvolvimento - IPEA, Brasília, n. 53, p. 26, ago. 2009.

CINTRA, Marcos. Os custos dos congestionamentos na cidade de São Paulo. 2014, p. 35.

CNT – Confederação Nacional do Transporte. Economia em Foco: Mobilidade Urbana. 2012.

COSTA, Fernando Nogueira da. Bancarização e financeirização. 2015. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2017.

COSTA, Renato Gama-Rosa; SILVA, Claudia G. Thaumaturgo da; COHEN, Simone Cynamon. A origem do caos: a crise de mobilidade no Rio de Janeiro e a ameaça à saúde urbana. Cadernos Metrópole, v. 15, n. 30, 2013.

DENATRAN - Departamento Nacional de Trânsito. Frota de Veículos. 2016. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2017.

ELALI, André. Incentivos fiscais, neutralidade da tributação e desenvolvimento econômico: a questão da redução das desigualdades regionais e sociais. Incentivos fiscais: questões pontuais nas esferas federal, estadual e municipal. São Paulo: MP, p. 37-66, 2007.

SILVA, Fernando Nunes da. Mobilidade urbana: os desafios do futuro. Cadernos Metrópole, São Paulo, v. 15, n. 30, p. 377-388, Dec. 2013.

GAETE, Constanza Martínez. 12 criterios para determinar un buen espacio público. Plataforma Urbana. 2013. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2017.

GEHL, Jan. Cidade para Pessoas. Tradução Anita Di Marco. 3 ed. São Paulo: Perspectiva, 2015.

GEHL, Jan; et al. New city life. 2006.

GEHL, Jan; SVARRE, Birgitte. How to study public life. Island Press, 2013.

GLASS, Ruth Lazarus. London: aspects of change. MacGibbon & Kee, 1964.

GLOBAL DESIGNING CITIES INITIATIVE; NATIONAL ASSOCIATION OF CITY TRANSPORTATION OFFICIAL. Global Street Design Guide. Island Press, p. 397, 2016.

GONÇALVES, Juliano Costa. A especulação imobiliária na formação de loteamentos urbanos: um estudo de caso. Editora E-papers, 2010.

GOMIDE, Alexandre de Ávila; GALINDO, Ernesto Pereira. A mobilidade urbana: uma agenda inconclusa ou o retorno daquilo que não foi. Estudos Avançados, São Paulo, v. 27, n. 79, p. 27-39, 2013.

GOTTDIENER, Mark; HUTCHISON, Ray; RYAN, Michael. The new urban sociology. Westview Press, 2014.

GWILLIAM, Ken. Cidades em Movimento: estratégia de transporte urbano do Banco Mundial. Tradução: Eduardo de Farias Lima. São Paulo: Sumatra Editorial, 2003.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades: São Paulo. 2017. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2017.

IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Série: Eixos de Desenvolvimento Brasileiro, n. 94: Infraestrutura Social e Urbana no Brasil subsídios para uma agenda de pesquisa e formulação de políticas públicas. A mobilidade urbana no Brasil. Brasília, 2011.

KNEIB, Erika Cristine. Fórum de Mobilidade Urbana: relatos de uma experiência na Região Metropolitana de Goiânia. Revista dos Transportes Públicos - ANTP. São Paulo, v. 35, n. 133, p. 47-62, 2013.

LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. 5. ed. São Paulo: Centauro, 2008.

MANO, Maíra Kubík. O automóvel ainda é prioridade. Desafios do Desenvolvimento - IPEA. Brasília, n. 67, p. 33-39, set. 2011.

MESQUITA, Adaílson Pinheiro de; et al. Estudo Prévio de Viabilidade Técnica para a Implantação do Veículo Leve sobre Trilhos - VLT em Uberlândia: Livro I. Uberlândia: p. 178, 2014.

MINISTÉRIO DAS CIDADES. Conheça o anteprojeto de lei da política nacional de mobilidade urbana: mobilidade urbana é desenvolvimento urbano. Conduit ITC, São Paulo, nov., 2005. 39 p.

MORTARIE, Rachel; EUZÉBIO, Gilson Luiz. O custo do caos. Desafios do Desenvolvimento - IPEA. Brasília, n. 53, p.18-24, ago. 2009.

PAGANI, Eliane Barbosa Santos; ALVES, Jolinda de Moraes; CORDEIRO, Sandra Maria Almeida. Segregação socioespacial e especulação imobiliária no espaço urbano. Argumentum, Vitória (ES), v. 7, n. 1, p. 167-183, jan. / jun. 2015.

RAMIS, Jacqueline Elhage; SANTOS, Emmanuel Antônio dos. Uso de automóveis e o caos urbano: considerações sobre o planejamento de transportes das grandes cidades. Jornal of Transport Literature, Manaus, v. 6, n. 4, p. 164-177, Dec. 2012.

RODRIGUES, Juciano Martins. Estado da motorização individual no Brasil: Relatório 2015. In: Observatório das Metrópoles, p. 26, 2015.

SMITH, Neil. (2006). A gentrificação generalizada: de uma anomalia local à “regeneração” urbana como estratégia urbana global. De volta à cidade. São Paulo, ANNABLUME, p. 59-87, 2006.

VASCONCELLOS, Eduardo Alcântara de. Transporte urbano nos países em desenvolvimento: reflexão e propostas. São Paulo: Unidas, 1996.

ZANDONADE, Patricia; MORETTI, Ricardo. O padrão de mobilidade de São Paulo e o pressuposto de desigualdade. EURE (Santiago), v. 38, n. 113, p. 77-97, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.17271/2318847274620192000

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

ISSN Eletrônico: 2318-8472    Digital Object Identifier (DOI): 10.17271/23188472

Indexações:

                  


ÍNDICE H (GOOGLE SCHOLAR):

Índice h5 = 5

Índice h5 = Mediana 6


Metrics:

 

 Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.