Avaliação da qualidade ambiental do espaço público: um estudo aplicado à cidade de João Pessoa-PB, Brasil

Geovany Jessé Alexandre da Silva, José Augusto Ribeiro da Silveira, Flávio Souza Azevedo, Juliana Cláudia Bezerra Campos, Larissa Ellen Oliveira de Lima

Resumo


Esse artigo tem como tema a qualidade ambiental e sustentabilidade urbana do espaço livre público, lugar que favorece a qualidade de vida e a sustentabilidade. Definir um método a partir de indicadores que correlacionem diferentes critérios de qualidade desses espaços ainda é algo bastante complexo. Com base na adaptação de metodologias, o estudo visa contribuir na construção de um índice com indicadores que possam subsidiar a análise da qualidade ambiental e sustentabilidade urbana desses espaços. Com ênfase na estrutura física do local se consideram aspectos como equipamentos, mobiliário, cobertura vegetal, entre outros que também contribuem para a vitalidade urbana e qualidade ambiental. A área de estudo corresponde a um recorte do bairro Castelo Branco, em João Pessoa - PB, onde se encontra a praça Cel. Heitor Cabral de Ulyssea. Foram definidos os indicadores Acessibilidade – Ac; Adequação da Vegetação – Av; Área Verde Total - Avt; Cobertura Vegetal da Praça – Cvp; Cobertura Vegetal do Bairro – Cvb; Conservação/Manutenção – Cv; Equipamentos - Et; Vegetação Nativa e Exótica - Vnate e Vitalidade Urbana - Vurb. O resultado do Índice de Qualidade Ambiental e Sustentabilidade Urbana – IQASU capturado foi 2,81 que indica uma medida de área deteriorada evidenciando que a praça não desempenha funções sociais básicas.

Palavras-chave


Espaços Livres; Indicadores; Sustentabilidade.

Texto completo:

PDF

Referências


BUCCHERI – FILHO, Alexandre Theobaldo; NUCCI. João Carlos. Espaços Livres, Áreas Verdes e Cobertura Vegetal no Bairro Alto da XV, Curitiba, PR. RA´EGA - Revista do Departamento de Geografia, 2006. N.18, 48-59 p.

CALDEIRA, Júnia Marques. A Praça Brasileira – trajetória de um espaço urbano: origem e modernidade. Tese (Doutorado em História) Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. 2007.

CONSELHO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE - CONAMA – Resolução 369: Dispõe sobre os casos excepcionais, de utilidade pública, interesse social ou baixo impacto ambiental, que possibilitam a intervenção ou supressão de vegetação em Área de Preservação Permanente-APP. Brasília, DF, 2006.

CONVENÇÃO SOBRE DIVERSIDADE BIOLÓGICA – CDB, 1992. Disponível em http://www.mma.gov.br/estruturas/sbf_chm_rbbio/_arquivos/cdbport_72.pdf. Acesso em 15 de novembro de 2017.

DE ANGELIS, Bruno Luiz Domingos; CASTRO, Rosa Miranda de; DE ANGELIS NETO, Generoso. Metodologia para levantamento, cadastramento, diagnóstico e avaliação de praças no Brasil. Engenharia Civil, Universidade Estadual de Maringá, 2004. N. 20, 57-70 p.

HARDER, Isabel Cristina Fialho; RIBEIRO, Roberval de Cássia Salvador; TAVARES, Armando Reis. Índices de área verde e cobertura vegetal para as praças do Município de Vinhedo, SP. Árvore [online], 2006. V.30, n. 2, 277-282 p. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622006000200015. Acesso em: 10 de novembro de 2017.

JACOBS, Jane. Morte e vida de grandes cidades. Martins Fontes, São Paulo; 1ª edição, 2001.

KACZYNSKI, Andrew; STANIS, Sonja Wilhelm. Community Park Audit Tool (CPAT), 2013. Disponível em: https://activelivingresearch.org/community-park-audit-tool-cpat. Acesso em: 28 de dezembro de 2019.

KLIASS, Rosa Grena; MAGNOLI Miranda Martinelli. Áreas verdes de recreação. Paisagem Ambiente: Ensaios, 2006. N. 21, 245–256, p. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/paam/article/view/40254. Acesso em: 15 de maio de 2018.

LIMA, Valéria; AMORIM, Margarete Cristiane de Costa Trindade. A importância das áreas verdes para a qualidade ambiental das cidades. Formação, n.13, p. 139-165, 2006.

MACEDO, Sílvio Soares. Espaços Livres. In: Paisagem e Ambiente: Ensaios, n. 7. São Paulo, 1995. 15-56, p. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/paam/article/view/133811. Acesso em: 26 de abril de 2018.

MESQUITA, Liana de Barros; SÁ CARNEIRO, Ana Rita. Espaços livres do Recife. Recife: Prefeitura da Cidade do Recife; UFPE, 2000.

MCKENZIE, Thomas L; COHEN, Deborah A; SEHGAL, Amber, WILLIAMSON Stephanie. System for Observing Play and Recreation in Communities (SOPARC): reliability and feasibility measures. J Phys Act Health, 2006.

MORA, Natalia Mayorga. Experiências de parques lineares no Brasil: espaços multifuncionais com o potencial de oferecer alternativas a problemas de drenagem e águas urbanas. Banco Interamericano de Desenvolvimento, BID, Setor de Infra- Estrutura e Meio Ambiente, Nota Técnica, 2013.

Associação Brasileira de Normas Técnicas NBR 9050: 2004. Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de janeiro: ABNT, 2004.

PANERAI, Phillippe. O Retorno à Cidade. Revista Projeto, São Paulo, n. 173, 1994.

QUEIROGA, Eugênio Fernandes. Sistemas de Espaços Livres e Esfera Pública em Metrópoles Brasileiras. Resgate, 2011. V. 19, n. 21, 25-35 p.

RECIFE. Prefeitura Municipal da Cidade do Recife. Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade– SMAS. Manual de arborização: orientações e procedimentos técnicos básicos para a implantação e manutenção da arborização da cidade do Recife. Ed. 1 – Recife: [s.n.], 2013.

RIBEIRO, Edson Leite; SILVEIRA, José Augusto Ribeiro da; SILVA, Milena Dutra da; BRITO, Ana Laura de Freitas Rosas. Sistema de Áreas Verdes e de lazer urbano – aspectos históricos, espaciais e sociais: O caso da cidade de João Pessoa-PB. Estudos Urbanos: uma abordagem interdisciplinar da cidade contemporânea. Sandra Medina Benini e Jeane Aparecida Rombi de Godoy Rosin (Orgs); Norma Regina Truppel Constantino (Rev.) – 3 ed. Tupã: ANAP, 2015.

ROSSETTO, Adriana Marques. Proposta de um Sistema integrado de Gestão do Ambiente Urbano (SIGAU) para o desenvolvimento sustentável de cidades. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, 2003.

SABOYA, Renato. Jane Jacobs e os parques de bairro. Urbanidades, Urbanismo, Planejamento Urbano e Planos Diretores, 2017. Disponível em: http://urbanidades.arq.br/2007/09/jane-jacobs-parques-de-bairro/. Acesso em 20 setembro de 2018.

SALVADOR. Prefeitura Municipal de Salvador. Secretária da cidade sustentável e inovação– SECIS. Manual Técnico de Arborização Urbana de Salvador com espécies nativas da Mata Atlântica. 2017. Disponível em . Acesso em 15 de novembro de 2017.

SASIDHARAN Vinod; MCKENZIE Thomas L.; CHAVEZ Deborah J. SOPARNA: System for Observing Physical Activity and Recreation in Natural Areas. Description and Manual Procedures. San Diego: San Diego State University, 2014.

SILVEIRA, José Augusto Ribeiro da. Dinâmica intraurbana: fragmentação e emergência de novas centralidades. Conceitos, 2013. N. 19, v. 2, 84-93 p.

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA – PMJP (2017). Disponível em . Acesso em 15 de novembro de 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.17271/2318847285620202253

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

ISSN Eletrônico: 2318-8472    Digital Object Identifier (DOI): 10.17271/23188472

Indexações:

                  


ÍNDICE H (GOOGLE SCHOLAR):

Índice h5 = 5

Índice h5 = Mediana 6


Metrics:

 

 Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.