Elementos estruturadores do território e os efeitos na borda urbana de Passo Fundo/RS

Laércio Stolfo Maculan, Vera Regina Tângari

Resumo


Este trabalho tem como objetivo discutir os efeitos dos elementos que estruturam a ocupação do território na borda de uma cidade de porte médio no Sul do Brasil, no período de 2000 e 2018. Os elementos como o suporte geofísico, a Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), os corredores de desenvolvimento e as aglomerações urbano-industriais são importantes, pois influenciam no desenvolvimento das localidades e estruturam as dinâmicas regionais. O objeto de interesse é o município de Passo Fundo/RS, enquanto cidade-polo da região do Conselho Regional de Desenvolvimento Produção. Esta região se caracteriza, na economia e na paisagem, por estar inserida no espaço predominantemente voltado ao agronegócio globalizado. Como resultado, foi possível observar que os elementos estruturadores, como a RMPA, influenciam na ocorrência de vetores de crescimento. As rodovias regionais concentram os estabelecimentos de empresas. Na borda, estão localizadas as atividades industriais e comerciais e as áreas de agricultura urbana voltada à matriz do agronegócio globalizado. Os fenômenos observados são complexos, e de maneira nenhuma se buscam simplificações, uma vez que, ao discutir as transformações fomentadas, seja por características locais e elementos regionais ou pelo agronegócio, este artigo busca colaborar com os planejadores na tomada de decisão com uma visão geral dos efeitos que estas estruturas podem causar na borda de uma cidade média inserida no contexto do agronegócio.

Palavras-chave


elementos estruturadores; matriz do agronegócio; borda urbana; cidade média.

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM FILHO, O. B.; SERRA, R. V. Evolução e perspectivas do papel das Cidades Médias no planejamento urbano e regional. In: T. A. Andrade; R. V. Serra (Eds.); Cidades Médias Brasileiras. 2001, Rio de Janeiro: IPEA.

CASIMIRO, P. C. Estrutura, composição e configuração da paisagem: conceitos e princípios para a sua quantificação no âmbito da ecologia da paisagem. Revista Portuguesa de Estudos Regionais, v. 20, p. 75–99, 2009.

DINIZ, C. C. Dinâmica regional e ordenamento do território brasileiro: desafios e oportunidades. Revista Catarinense de Economia, v. 1, n. 1, p. 27, 2017.

ELIAS, D.; PEQUENO, R. Desigualdades socioespaciais nas cidades do agronegócio. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 9, n. 1, p. 25, 2007.

FINAMORE, E. B. (ED.). Planejamento estratégico da região da produção: do diagnóstico ao mapa estratégico 2008/2028. Passo Fundo: Editora UPF, 2010.

FORMAN, R. T. T. Some general principles of landscape and regional ecology. Landscape Ecology, v. 10, n. 3, p. 133–142, 1995.

IBGE. Regiões de Influência das Cidades. Rio de Janeiro: IBGE, 2008.

IOSSIFOVA, D. Searching for common ground: Urban borderlands in a world of borders and boundaries. Cities, v. 34, p. 1–5, 2013.

MADUREIRA, E. M. P. Desenvolvimento regional: principais teorias. Revista Thêma et Scientia, v. 5, n. 2, p. 16, 2015.

MANETTI, C. Um “olhar”sobre o território: análise territorial e estudo prospectivo sobre a “Grande Diagonal Paulista,” 2013. Programa de Pós-Graduação em Gestão Urbana. Pontíficia Universidade Católica de Campinas. Campinas, 2013.

MARKUSEN, A. R. Regions and Regionalism. Regional Analysis and the New International Division of Labor. Dordrecht: Springer Netherlands, 1983.

OLIVEIRA, L. V. N.; LIMA, J. F. DE. O processo de construção da política nacional de desenvolvimento regional no Brasil. Revista Portuguesa de Estudos Regionais, v. 31, n. 3, p. 71–81, 2012.

OTERO, E. V. Reestruturação urbana em cidades médias paulistas: a cidade como negócio. 2016. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Universidade de São Paulo. São Paulo, 2016.

PANERAI, P. Análise Urbana. Brasília: Universidade de Brasília, 2006.

PORTAS, N.; DOMINGUES, Á.; CABRAL, J. Políticas Urbanas: Tendências e oportunidades. 4th ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2007.

SANTOS, A. M. S. P. Urbanização brasileira: um olhar sobre o papel das cidades médias na primeira década do século XXI. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 12, n. 2, p. 103, 2010.

SANTOS, M. A urbanização Brasileira. São Paulo: Editora de Humanismo, Ciência e Tecnologia, 1993.

SANTOS, M.; SILVEIRA, M. L. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. 9th ed. Rio de Janeiro: Record, 2006.

SILVEIRA, J. A. R. DA. Urban sprawl, periferização e bordas urbanas. Vitruvius, v. 164.07, 2014.

SOARES, P. R. R. Metropolização, aglomerações urbano-industriais e desenvolvimento regional no sul do Brasil. Cadernos Metrópole, v. 20, n. 41, p. 15–34, 2018.

SOUZA, N. DE J. DE. Economia regional: conceito e fundamentos teóricos. Perspectiva Econômica, v. 11, n. 32, p. 67–102, 1981.

STAMM, C.; LIMA, J. F. DE; SANTOS, M. S. DOS. Polarização e população: apontamentos teóricos. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, v. 39, n. 1, p. 33–41, 2017.

TÂNGARI, V. R.; DIAS, M. A.; REGO, A. Q.; et al. O Arco Metropolitano do Rio de Janeiro: integração e fragmentação da paisagem metropolitana e dos sistemas de espaços livres de edificação. In: V. R. Tângari; A. Q. Rego; R. de C. M. Montezuma (Eds.); O Arco Metropolitano do Rio de Janeiro: integração e fragmentação da paisagem metropolitana e dos sistemas de espaços livres de edificação. Rio de Janeiro: PROARQ/FAU-UFRJ, 2012.

VILLAÇA, F. Espaço intra-urbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.17271/2318847285720202284

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

ISSN Eletrônico: 2318-8472    Digital Object Identifier (DOI): 10.17271/23188472

Indexações:

                  


ÍNDICE H (GOOGLE SCHOLAR):

Índice h5 = 5

Índice h5 = Mediana 6


Metrics:

 

 Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.