A infraestrutura urbana e a saúde: Região Metropolitana de São Paulo

Célia Regina Moretti Meirelles, Gilda Collet Bruna

Resumo


Este artigo focaliza as condições de vida da população nos municípios da Região Metropolitana de São Paulo, associando a relevância da infraestrutura urbana como imprescindível para o acesso à saúde. Entre as infraestruturas, este artigo avalia, a água, esgoto, resíduos sólidos, energia e internet. E analisa a importância das políticas e serviços públicos para promoção da saúde por meio dos indicadores, sociais como IDH-M (índice de desenvolvimento Humano), e dos sócios demográficos entre estes: TGCA (taxa de geométrica de crescimento anual); mortalidade infantil; e porcentagem da população idosa. Como procedimentos metodológicos foram aplicados: a revisão da literatura, a análise dos indicadores e da infraestrutura por mapas correlacionando-os de modo crítico. Por fim conclui-se que existe uma relação direta entre a infraestrutura urbana e a saúde da população, pois a falta destes sistemas e dos serviços públicos leva ao aumento de doenças em especial nas cidades periféricas da Região Metropolitana de São Paulo.
PALAVRAS-CHAVE: Infraestrutura Urbana, Região Metropolitana de São Paulo, Saúde na Cidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17271/2318847286020202420

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

ISSN Eletrônico: 2318-8472    Digital Object Identifier (DOI): 10.17271/23188472

Indexações:

                  


Metrics:

 

 Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.