Resistências Urbanas: A ação tática como insurgência e sua presença no território periférico de São Paulo.

Liliane Katita Carvalho, Maria Isabel Imbronito, Maria Carolina Maziviero

Resumo


A ação tática é uma ferramenta que se desdobra a partir de atividades voluntárias desenvolvidas coletivamente, que interfere na maneira de viver e apropriar-se da cidade. Comumente discute-se sobre as ações táticas e/ou insurgentes desenvolvidas nas regiões centrais das grandes cidades. No entanto, este artigo busca investigar como ocorre a organização dessas ações no território periférico utilizando como estudo de caso o distrito de São Mateus localizado no município de São Paulo. A partir do panorama das resistências urbanas e da construção histórica do distrito, observa-se a articulação das ações ali desenvolvidas como uma rede tática, transformando o território em um lugar de experimentação e resistência em diversas frentes. Tem-se como princípio o fortalecimento dos grupos autogeridos conhecidos por ‘coletivos urbanos’, que estabelecem uma potente discussão que relaciona a ação civil e a construção da cidade como formas de enfrentamento aos processos de desenvolvimento neoliberal. A partir desta análise, o trabalho propõe compreender a ação coletiva como elemento tático do Distrito de São Mateus, demonstrando seu potencial na transformação do território a curto e longo prazo, na expansão da produção do comum, e por consequência na construção de novas formas de planejar e gerir o espaço urbano.

Palavras-chave


Ação tática; coletivos urbanos; periferia.

Texto completo:

PDF

Referências


BRENNER, Neil. Seria o “urbanismo tático” uma alternativa ao urbanismo neoliberal? Revista E-Metrópolis, ano 07, nº 27, 2016. Disponível em: . Acesso em 01-11-2018.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2016.

_________. Comum: ensaio sobre a revolução do século XXI. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2017.

HARVEY, David. Do gerenciamento ao empresariamento: a transformação da administração urbana no capitalismo tardio. Espaço & Debates: Revista de Estudos Regionais e Urbanos. São Paulo, n. 39, p.48-64, 1996.

________. Condição Pós-Moderna: Uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo, Brasil: Loyola, 2008.

JACQUES, Paola B. Microrresistências urbanas: Por um urbanismo incorporado.In: ROSA, Marcos L. Microplanejamento Urbano: Práticas Urbanas Criativas. São Paulo: Editora de Cultura, 2011.

MARICATO, Erminia. O impasse da política urbana no Brasil. 3. Ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.17271/2318847274620191868



 

ISSN Eletrônico: 2318-8472    

Digital Object Identifier (DOI): 10.17271/23188472

 

Indexações:

                 


ÍNDICE H (GOOGLE SCHOLAR):

Índice h5 = 5

Mediana h5 =  6


Metrics:

 

 

 Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.